#Feelings: ENCONTRAR-TE

terça-feira, junho 09, 2015


Hoje eu pensei em escrever sobre nossos encontros, não que seja algo importante ou que algo exista. É apenas para dizer que eles me fazem bem. O período longe é curto, mas mesmo assim vou sentir sua falta. Ontem só deu para me despedir, nenhuma palavra a mais. Você me fez perceber que pequenos atos como um simples abraço podem cuidar de uma pessoa bem mais que um se cuida.

Ontem eu queria conversar com você sobre meus medos, ou deixando de ser um pouquinho egoísta queria saber como anda sua vida, se já está de férias, como é a sensação do último ano? Eu sei que já passei por ela, mas me faz tão bem reviver a melhor época da minha vida. Nessa época, as coisas eram bem simples, e eu nunca, nunca mesmo ficava triste. Mas, hoje, estou com medo de algo real, estou com medo de que as coisas mudem, já te disse uma vez que amo as mudanças, mas quer saber? Assim como boa parte das coisas em mim, minha relação com ela também é bipolar.

Você lembra daquele carinha que eu disse que seria meu amigo para sempre, aliás, o único? Pois bem, grandes mudanças aconteceram na sua vida e eu percebi que não sei se sobreviveremos a ela. Uma amiga me disse que se sobreviver a esse impasse que a vida está colocando, é para sempre. Se sobreviver, nada mudará, pois, prefiro o nada a insignificância do pouco. Não gosto de pouca amizade, pouco amor, pouco carinho, nem meios amigos, gosto do gosto de gostar e ter as coisas por completo.

Pois bem caro amigo, você é daqueles que eu conto os dias para ver novamente, no mesmo dia, no mesmo horário, nas mesmas cadeiras, com as mesmas cores e cortes de cabelo. Talvez eu goste de rotular as coisas, controlar meu tempo, minha vida, talvez eu tenha um pouco de toc com o modo como levo as coisas, sempre da mesma maneira, querendo e não tendo coragem para mudá-las.

Talvez eu não tenha explicado bem o meu medo, talvez por não ter coragem de dizê-lo. Eu tenho medo de perder o último daqueles que um dia foram os meus. Tenho medo de perder a única pessoa que sempre me fez bem. Tenho medo de perder a única pessoa que me conhece e me conheceu com todos os meus hiatos e qualidades que Deus pode me oferecer. Tenho medo de perder com ele, quem eu fui e quem eu sou. Não é apenas drama barato, dói perder alguém importante.

Sei que amigos vão e vem, assim como os dias, assim como você chegou em minha vida em um momento de transição, no momento em que eu iria enfrentar o novo, novamente. Você me fez sentir em casa em um salão lotado de desconhecidos, eu me adaptei perfeitamente bem as minhas novas escolhas e isso eu agradeço a você. Às vezes me lembro de uma noite em que conversamos sobre de onde eu tinha vindo. Você me fez perceber que realmente, eu estava no local errado, você me entendeu como poucos e me guiou pelo caminho correto.

Eu tenho medo de perder. Tenho medo de não saber para quem ligar quando estiver preocupada. Ou com quem vou rir até chorar altas horas da noite. Quem eu vou poder simplesmente chamar de idiota sem ele realmente acreditar que é?
O medo corrói porque existem lembranças de um bom passado. É disso que tenho medo, de perdê-las.

2 comentários:

  1. Ai que texto grande! Kkkkk, só eu posso falar isso u.u
    Só digo uma coisa: tá precisando encarar mais seus medos 😜😜 Bota a cara no sol mona!!! Kkkkk, tinha que ser eu pra fazer graça aqui. Teu texto tá ótimo e cheio de sentimento, meio íntimo... Gostei.

    ResponderExcluir
  2. Ai ai bota a cara no sol amiga kkkkkkk

    ResponderExcluir