#Feelings: Não mais água salgada em meus olhos

quarta-feira, julho 15, 2015


Na verdade eu sempre tento esconder quem eu sou. Na verdade, às vezes, eu não me permito chorar. Meu pensamento é mais forte do que a emoção. Eu consigo controlá-lo. Eu não deveria prendê-lo. Mas é involuntário. Não sei mais como expressar com a voz. Não sei como dizer "Eu te amo", aliás não me lembro de ter dito a quem deveria ter escutado.
Me calei. Prometi a mim mesma não usar determinadas palavras, não cometer determinados atos. Chorar estava entre eles. Não sei bem porque mas, eu acredito na coragem. Eu acredito que atos bravos valem mais do que sentimentos. Conseguir se manter forte é um ato corajoso. Mas, se esconder atrás da coragem é uma atitude covarde.
Talvez eu seja mesmo uma covarde, uma careta, alguém que não saiba como lidar com a verdade e com suas lágrimas. Alguém que fica por medo de ir. Alguém que morre por ter medo de viver. Alguém que sofre por não se permitir amar. Alguém que não acredita na força do amor. Alguém que procura razão em si mesma, e quando a encontra a deleta.
Alguém que precisa de coragem, para ser mais que a atitude que brota nos meus olhos. Não mais a água salgada que eu não permito que atravesse queimando a minha pele. Não mais a água em minha pele. Não mais a desculpa. Não mais o "nada não". Talvez eu seja apenas uma covarde. Talvez meu lugar seja com o pessoal monocromático.
Talvez eu viva assim. Em tons. Em mono. Em monossílabos. Em singular. Tendo meus hiatos, minhas singularidades e meus desejos pluralizados. Talvez seja apenas quem eu desejo esconder ou quem eu desejo acreditar que escondo.

0 comentários:

Postar um comentário