#RESENHA - EU, CHRISTIANE F., TREZE ANOS, DROGADA E PROSTITUÍDA.

segunda-feira, julho 27, 2015


Heey people!

Um livro que sempre tive vontade de ler era a história de Christiane, tanto por minha mãe falar dele quanto pelo conteúdo do livro. De tanto falar uma amiga me arrumou emprestado para ler, geente, que isso, é muita perfeição pra um livro só. A história é incrível, dolorosa e real. To doida para ler a continuação, que é a história dela adulta.



O que posso dizer sobre o livro: Cativante, emocionando e doloroso. Você não consegue não sentir a dor de Christiane, a dor da sua mãe e a dor de perder tudo, inclusive a si mesma. Não é apenas um livro sobre drogas, seus efeitos e suas consequências. É sim um livro sobre drogas, mas é tão real que te faz sentir o lixo que ela sentia ao não conseguir sair deste mundo.



Sinopse: A obra em questão originou-se do próprio interesse de Christiane F, em romper o silêncio e relatar seu depoimento aos jornalistas Kai Hermann e Horst Rieck sobre a questão dos tóxicos entre os adolescentes. O livro tem início com o texto do processo (Berlim, 1978) em que Christiane, colegial, menor de idade, é acusada de consumir, de maneira contínua, substâncias e misturas químicas proibidas por lei. Foi acusada também de ter-se entregado à prostituição, com o propósito de juntar dinheiro suficiente para comprar drogas.



Após tudo isso, sua família se desestruturou; o pai ficou desempregado, a mãe pediu o divórcio, e o inferno instalou-se no seio da família. Christiane era surrada sempre e o lar, por ter-se transformado num ambiente hostil, fez com que ela procurasse as ruas. O livro intercala o depoimento de Christiane com o de sua mãe, de policiais que tiveram contato com a menina, e de psicólogos. De Christiane F. sabe-se que ela esteve longe das drogas por cinco anos, depois de o livro ser publicado, e que vivia com um músico alemão famoso. Atualmente, tem uma filha de três anos.



Filme: Para quem leu o livro vai perceber que o filme é realmente muito vago, mostra rapidamente o sofrimento de quem está no mundo das drogas, para privilegiar a facilidade em tê-la. O filme é basicamente um resumo do livro, mas não abordou nada de essencial e torna-se fútil, é apenas um relato, não demonstrou nada de essencial contra o uso das drogas como o livro veio a mostrar.

Quem aí já leu o livro?

0 comentários:

Postar um comentário