Ela se perdeu, ele se encontrou

segunda-feira, janeiro 04, 2016
large (8)

Você manda uma, duas, dez mensagens: não há resposta. Você liga, celular está desligado. Você pensa: deve estar dormindo, deve ter acontecido alguma coisa, ele não é de esquecer os seus compromissos. Principalmente comigo. Comigo!

Ele some. Por um dia. Ah, deve estar resolvendo algum problema de família. Some por dois dias. Será que não é melhor eu ligar para aquele nosso amigo em comum para ver se ele está bem? Some por uma semana. Some por meses. Simplesmente some. Some de tudo. Te bloqueia nas redes sociais, te bloqueia da vida.

Você fica sem entender. Ele não te retorna, ele não te dá satisfação, ele simplesmente esquece que você existe e você, com o seu coração partido mais uma vez segue a sua vida sem entender nada.

Então ele volta. Volta naquela noite de domingo através de um bip no seu celular. '' E aí sumida?'' Você só consegue pensar em meio as batidas do seu coração surpreso ''eu sabia que voltaria''. E você não diz nada, você simplesmente responde, abre novamente a porta da sua vida, do seu coração para alguém que  se foi, mas voltou como se nada tivesse acontecido.

As amigas questionam. Os familiares não entendem. Você não se importa. Ele voltou. A única coisa que você consegue pensar é na possível saudade que ele sentiu de você, enquanto estava passando por um momento difícil, Você se apaixona ainda mais por achar que ele não quis dividir os problemas com você, para não te afetar. ''Ele ficou todos esses meses pensando em mim. Claro''.

Então você olha no espelho e encara a unica pessoa para quem você não consegue mentir: você mesma. Lá no fundo você sabe que ele sumiu, porque simplesmente se cansou de alguém que está sempre disponível para ele. Alguém que ele sabia que poderia fazer o que for, iria voltar pra ele no momento que ele reaparecesse, através de três palavras insignificantes na tela de um celular.  Alguém que insiste em chamar esse sentimento de amor, mas que na verdade é um medo desesperador de ficar sozinha mais uma vez. Pela vigésima vez.

Então, como sempre ele some de novo. E você começa a sentir tudo de novo. Então ele volta, ele some, ele volta. Ele sobe na vida, ele volta. Ele casa, ele volta. Ele vai, mas ele volta.Ele se encontra, vai e volta.  E você continua estagnada em sua vida o esperando, porque ele sempre volta. E você nunca vai.

Em cada partida dele, ele leva os seus sonhos, os seus planos. A sua vida. As pessoas começam a se afastar, a sua vida começa a desmoronar e você se vê sozinha com essa dependência doentia de alguém que nunca está com você, mas você aceita essa situação, porque ele sempre volta.

Então você se perde, em meio a todo esse ciclo vicioso. Perde aquela pessoa que mesmo com todas as idas, você só consegue pensar nas milhares de voltas. Quem te quer, não vai embora. Uma pessoa que vai embora nunca foi sua. E no fim, quando não te resta mais nada, você perde  aquilo que insistia em estar ao seu lado todo esse tempo e você rejeitava: o seu amor próprio.





0 comentários:

Postar um comentário