Piloto automático!

segunda-feira, junho 06, 2016

Procurei em meus arquivos palavras que representassem além do que eu poderia expressar, mas não encontrei. Pensei que talvez criar novas frases fosse o mais importante nesse momento, talvez eu estivesse errada, escrever sobre não me faz mais tão bem quanto antes. Talvez eu não esteja encontrando as palavras certas para dizer o que por cinco meses me calei.

No primeiro mês eu tive medo de encarar o que vinha pela frente, mas encarei e acredito que deu certo. Nunca estive tão diferente, tão desesperada internamente, tão sóbria, tão cansada, tão fora de mim, tão perdida na minha bolha, tão sem compreensão do momento como estive.

Estive desligada, apenas vivendo no piloto automático, Estou. Estive. Preciso parar.

No segundo mês, eu não percebi, mas chegou o terceiro, o quarto e o quinto. Fiz 21. Me dei conta que o tempo não para que eu possa viver, e então vivi. Vivi alguns dias como se fossem eternos e não me arrependi. Não tive tempo, porque não quis ter para as coisas mais importantes da vida, porque não quis, porque me perdi, porque não me encontrei, porque chegou o final e eu não sabia quando havia começado.

Chegou o sexto mês e a correria que me coloca no piloto automático volta, e nada é como é antes. Eu já não te encontro nos corredores, eu não converso com ninguém de fora da minha bolha a meses. Eu me perdi em alguns momentos. Deveria já ter me encontrado, mas o que eu queria dizer é que nesses meses em que me perdi de mim, estive só, sóbria e embriagada nas minhas ilusões. Tive crises, dores, medos e desamores. Evitei tudo, evitei sofrer, padecer, amar, gostar, oferecer, evitei até novas amizades, mentira, não as fiz, mas não evitei, na verdade evitei. Estive só, na minha bolha, no meu piloto automático.

É a reta final, já voltamos a conversar e já não conversamos mais. Já achei que te amava e já achei que não amo mais. Já fui e voltei. Fiquei meses sem ir, optando por ficar, pra quê? Pra poder ser menos eu e mais ela? Pra poder terminar o que poderia ter sido feito antes? 
"Eu nunca fiz questão de estar aqui, muito menos participar, e ainda acho que o meu cotidiano, vai me largar. Um dia eu vou morrer, um dia eu chego lá, e eu sei que o piloto automático, vai me levar. Eu devia sorrir mais, abraçar meus pais, viajar o mundo e socializar, nunca reclamar, só agradecer, tudo o que vier eu fiz por merecer" - Piloto Automático - SuperCombo

Talvez essas duas músicas resumam muito do que meus meses, minhas palavras, meus desejos, minhas bolhas não conseguiram dizer.
"Eu sou uma fênix na água, um peixe que aprendeu a voar, e eu sempre fui uma filha, mas penas foram feitas para o céu, então eu estou desejando, desejando algo além, pela empolgação chegar, é só que eu prefiro estar causando o caos a viver na ponta afiada dessa faca. Com cada pequeno desastre, eu vou deixar as águas paradas, leve-me para algum lugar real, porque dizem que lar é onde seu coração está gravado em pedra, é onde você vai quando está sozinho, é onde você vai para descansar seus ossos, não é apenas onde você deita sua cabeça, não é apenas onde você arruma sua cama, enquanto nós estivermos juntos, realmente importa para onde vamos? Então quando eu estiver pronta para ser mais corajosa, e minhas feridas curarem com o tempo, conforto irá descansar em meus ombros, e vou enterrar meu futuro para trás, e eu sempre vou guardar você comigo, você estará sempre na minha mente, mas há um brilho nas sombras que eu nunca conhecerei se não tentar". - Home - Gabrielle Aplin
O que você tem a dizer mas não encontra as palavras corretas?

0 comentários:

Postar um comentário