sábado, maio 30, 2015

# #Feelings

#Feeling: I´m Ok?

Estou com medo. Não é medo de nada nem de ninguém. Tenho medo de mim. Estou apavorada, mas ninguém irá perceber, pois estou visivelmente calma. Meu coração está agitado, estou com medo de me perder, eu já me afastei de tudo novamente. Fiz as pessoas se afastarem, não vou mais a igreja, não converso, mas brigo, estou insuportável e trancada em mim mesma.

Quando não me sinto bem, me afasto até passar, mas este afastar me faz perder, perder a mim mesma. Não sei porque, mas não estou disposta a sair, a me divertir, a amar, a conhecer pessoas, a viver intensamente. Eu me escondo. Eu estou com medo. Eu tenho saudades de quem eu era, livre, solta e determinada. Eu era corajosa, enfrentava tudo e sabia amar. Hoje é como se eu nunca tivesse aprendido a amar.

Não que eu seja ruim, mas meu coração endureceu novamente, não me importo com coisas que deveriam ser importantes, e excluo pessoas que gostariam de fazer parte da minha vida e me prendo a aquelas que nunca quiseram ser parte. Se eu puder fugir, eu sempre estarei fugindo, mas eu não sei do que eu tenho medo. Muitos dizem ser de amar, outros de gostar das pessoas e outros ainda de quebrar a cara.

Sabe qual é a verdade? Não sou essa garotinha que é romântica e sonhadora, sou pé no chão e gosto do meu rock ensurdecedor. Faz tempo que preto já não é a cor dominante nas minhas roupas, só isso já determina uma perigosa mudança. Meus looks já não transmitem mais minha personalidade e eu vivo a margem. Já não sou mais a garota que ama maquiagem e se alegra com facilidade. Estou sempre me preocupando com coisas atípicas da minha idade.

Tenho saudade das tardes de domingo, nos quais eu acreditava no sentido da amizade. Tenho saudade de tudo que eu era. Tenho medo de descobrir como me perdi.

Me perdi na escuridão dos teus olhos. Me perdi tentando ser quem não era. Acho que cai no meu próprio conto de fadas e me transformei em quem eu nunca fui. Não sou essa garota que se esconde toda vez que tem problemas. Não sou essa garota que chora secretamente em seu interior. Não sou essa garota de 20 anos que se sente perdida. Essa não sou eu, mas também não sei quem é.

Eu me preocupo com o futuro da minha vida, eu me preocupo com tantas coisas que me esqueço como é viver. Como é sair sem ter hora para voltar. Como era ter amigos. Como era a adrenalina. Como era os sorrisos perdidos na multidão. Como era se sentir entregue a vida. Como era saber em quem confiar. Como era ter alguém.

Como era viver.

Um comentário:

  1. Que texto hein? Será que estou lendo além? Talvez...
    Beijos!

    ResponderExcluir

Follow Us @forwhatperola