quarta-feira, janeiro 13, 2016

# #Feelings

Como se nunca tivesse existido

baptism-black-and-white-girl-pic_large1

''Eu achei que nós éramos amigos'': essa com certeza é uma das frases que mais se repetiram eu meu coração a minha vida toda. A mesma história sempre se repetindo: eu conheço uma pessoa, confio nela depois de pouca resistência, a coloco em um lugar em meu coração, ela me decepciona, eu não a perdoo e a expulso da minha vida. Simples.

Eu não consigo perdoar as pessoas. Eu sempre achei que desculpas são apenas palavras, e o que você faz não tem volta. Por isso é preciso pensar bastante no que você fala ou faz com o outro, porque pode ser a última vez.  Comigo sempre é a última vez.

Eu dou chances para as pessoas, até porque eu também erro. Eu erro todos os dias. Mas minhas chances são silenciosas. Só eu sei. Ninguém mais sabe. Então quando meu limite chega, não tem palavras, demonstrações de afeto ou desculpas que me façam voltar atrás. Por que dá valor as pessoas só quando as perde? Por que não foi  todos os dias a pessoa que tenta ser quando quer ser perdoado?

Meus sentimentos sempre foram muito transparentes e quem me conhece sabe como eu sou. Sabe o que eu gosto e não gosto, o que me magoa. O que me faz amar. Não tem porque uma pessoa que sabe praticamente tudo ao meu respeito errar comigo de uma maneira que sabe que eu não perdoo. Você abre seu coração para alguém, ela vai lá e entra e faz uma bagunça no que mais te machuca, sai e depois volta querendo colo. Como lidar com isso?

Eu sou conhecida como a "menina que não perdoa os amigos''. A que possui amizades com prazo de validade. A oito ou oitenta. Ou ama, ou odeia. Ou tem amigos, ou tem inimigos. Sim, essa sou eu. Eu amo muitas pessoas em minha vida, e faço de tudo para não magoá-las porque só eu sei como dói. Por mais que meu coração seja grande, aqui dentro só fica pessoas selecionadas. Pessoas que me fazem bem. Pessoas que estão ao meu lado quando eu preciso e me dão pelo menos um pouco de segurança. E reciprocidade.

Mas meu coração também se ama demais. Eu me amo demais. E eu posso em um dia,  me  afastar de alguém que esteve ''do meu lado'' por anos, por motivos que para os outros não são nada, mas pra mim pode ser tudo. Tudo o que me destrói.

Eu já perdi a conta de como me deixei enganar com pessoas ao meu redor. E de como as perdi por conta da minha dificuldade em perdoar. Pelo meu amor próprio que muitas vezes adormece. As vezes até morre. Então eu fecho meu coração, eu me afasto, bloqueio de redes sociais. Bebo. Choro, eu sofro, eu caio. Mas quando eu levanto, abro meu coração novamente e recomeço. Tanta gente no mundo, por que eu vou sofrer por quem não quis estar ao meu lado? Eu não preciso de ninguém que não queira estar comigo.

E a única coisa a fazer em relação a essas pessoas é tratar como se nunca tivessem existido. Sempre.



Um comentário:

  1. Anônimo27.11.16

    Obrigada por esse texto. De verdade.

    ResponderExcluir

Follow Us @forwhatperola